MENU

segunda-feira, 3 de outubro de 2016






RESENHA #20 - ”DIÁRIO DE BUSCA” (LITERATURA NACIONAL) - W-SOUZA
LIVRO:”DIÁRIO DE BUSCA” (LITERATURA NACIONAL)

COLEÇÃO: VIAGEM NA FICÇÃO

AUTOR(es): W-SOUZA

EDITORA: CHIADO

PÁGINAS – 338

1ª  EDIÇÃO 2015

CATEGORIA: FICÇÃO

ASSUNTO: FICÇÃO

ISBN: - 978-989-51-4106-7







CITAÇÃO:” O ponto em comum encontrado nos mapas era uma incógnita, só poderia ser desvendado com ajuda de um telerscópio potente, e com alta tecnologia” (pág. 122)

ANÁLISE TÉCNICA:


-CAPA-

Toda cinza e preta como se fosse uma placa de ferro com parafusos.

Tem o significado coerente com o enredo, embora seja uma capa simples e sem muitos atrativos.

Feita por Vasco Lopes.


(nota:3,00 de 5,00)



-DIAGRAMAÇÃO:

As letras são pretas e um pouco abaixo da média, e as folhas amareladas.

Conteúdo: dedicatória; poema; capítulos curtos e apenas com títulos.

A diagramação é simples, no entanto eficiente e eficaz.

Composição gráfica: Maria do Rosário Costa – Departamento gráfico.

Impressão e acabamento: Chiado Print.

(nota:4,50 de 5,00 )



- ESCRITA:

Narrativa descritiva em 3ª pessoa e diálogos dinâmicos, mostrando a abrangência de todos os pontos de vista, tanto do enredo como das personagens.

Escrita fluida, coerente, instigante e evolutiva ao decorrer de todo o livro.

Sem erros gritantes e revisão quese perfeita.

Revisão de W-Souza.


(nota:4,90 de 5,00)



CITAÇÃO: “Contudo depois de dois anos em uma estrutura metálica pressurizada no meio do nada e a milhares de quilômetros de casa, os conceitos acabam mudando. A solidão e a carência começam a tomar conta e inevitavelmente algumas paixões tendem a aflorar. E quem quer controlar o coração, quem não quer viver uma paixão? Ah... O amor... O amor não escolhe data ou lugar, captura os corações sem autorização, ou aviso prévio.” (pág 183)

RESUMO SINÓPTICO:

Leopoldo Di Carlli sempre foi uma criança querida na escola, na vizinhança e na família. Tinha carisma e conquistava a todos com seu jeito educado. Sua maior paixão eram os livros, sempre gostou de ler e se perdia por horas na biblioteca e por vezes se atrasava para chegar em casa.

Dona Leopoldina era uma mulher simples e elegante. Trabalhava na biblioteca, era vaidosa e sempre estava atarefada, porém encontrava tempo para paparicar o filho Leopoldo. Moravam em Roma e tinha como hobby: cozinhar.

Leopoldo crescia e logo tornou-se um ‘homenzinho’. Na biblioteca descobriu um livro sobre civilizações antigas e encantou-se, passou a estuda-las, inclusive as civilizações extintas.

O Sr. Di Carlli era médico renomado, alto e corpulento, também vaidoso, sempre perfumado. Amava passar os finais de semana com Leopoldo, brincavam e se divertiam. Até que o Sr. Di Carlli contraiu varíola e veio a falecer...

A Sra. Di Carlli mudou totalmente, não cuidava mais da casa, nem do filho, os traços da dor, estampados em seu rosto não mais vaidoso. Leopoldo mudou também. Não era mais o menino ativo e alegre, não procurava mais os amigos para brincar e passou a ler cada vez mais. Aos 14 anos tornara-se um menino calado e triste.

Leopoldina era católica fervorosa e passou a monitorar as leituras do filho e estranhou que não eram sobre catolicismo... Ela queria que ele se tornasse padre. Acabou o internando em um colégio onde os filhos problemáticos eram levados. Leo para não desagradar a mãe, permaneceu lá, apesar de todos os maus tratos. Escondia da mãe e de todos sua paixão pela arqueologia.

Foi descoberto os maus tratos no colégio e a mãe para compensar Leo, passou a ‘bancar’ viagens nas férias para que o filho conhecesse o mundo e compensasse todo sofrimento que tinha passado, embora tivesse o desejo de que ele se tornasse padre.

D Leopoldina morre e Leo acabava vendendo todos os bens da família para ir em busca de seus sonhos, fazer viagens de conhecimento por todo o mundo... E em uma dessas viagens, percebe que o universo é maior do que a própria terra!!



ANÁLISE CRÍTICA E DO(s) AUTOR(es):

Para quem como eu gosta de ficção, vai simplesmente adorar esse livro.

Pelo resumo, pode parecer que o livro nada tem a ver com ficção, porque afinal, é preciso primeiro mostrar de onde tudo se iniciou, a formação das personagens e suas origens para que se chegue ao âmago do enredo. Entretanto, o livro é uma ficção muito bem escrita e evolutiva, que passa por várias gerações da família Di Carlli até a conquista do universo.

O que mais gostei, além da ficção é claro, é a forma como os autores mostram que a família é bem estruturada e cheia de amor em suas várias gerações, o que não dá motivos para pensarmos que o fato da existência de outros planetas, ser observação de pessoas desestruturadas.

É uma ficção amarradinha do início ao final e totalmente envolvente.

Claro que em algumas situações extrapolou um pouco a criatividade, e algumas situações que se pensarmos direitinho, talvez não pudessem ocorrer de forma tão perfeita, e esse é o único ponto questionável do livro. Mas, como nada é perfeito, porque aqui seria? Sem contar que é ficção, embora seja bem crível os acontecimentos na maior parte do tempo.

O que sei é que embarquei de cabeça na aeronave “Diário de busca” e não me arrependi um momento se quer. Foi uma leitura interessante, que agregou conhecimento e sentimentos. E ainda tem romance gente, bom demais.

Recomendo a leitura.

NOTA : 4,70 de 5,00





SOBRE Os AUTOR(es):



W-Souza
Wânio Souza é brasileiro, nascido no Sul do Estado de Santa Catarina. Mudou-se para a capital Florianópolis ainda criança, onde vive radicado até os dias atuais. Pai de uma jovem leitora de oito anos, é amante das artes e esportes aquáticos.



Wolnéia A. Souza é brasileira, nascida em Lauro Müller, mora atualmente no balneário de Praia de Fora, Sul de Santa Catarina. É mãe de três adolescentes. Do signo de peixes, tem como características fortes ser sonhadora e romântica. Suas maiores paixões são a literatura e a dança.

LIVRO CEDIDO PELOS AUTORES.

CHEIRINHOS
RUDY