MENU

quarta-feira, 29 de março de 2017




Quotes #1 | Diário de Busca, de W-Souza


Oi, genteeee. Tudo certo? Hoje eu vim aqui com uma postagem que eu tenho programado há muito tempo, mas sempre acabava esquecendo ou procrastinando. Mas enfim decidi que finalmente traria e acabou sendo uma enorme coincidência, vou contar o porquê. Esse mês completou um ano que realizei a leitura de Diário de Busca, dos irmãos W-Souza. Foi uma leitura maravilhosa, tanto que, quando publiquei a resenha, fiz um sorteio de um exemplar autografado para compartilhar a história com mais alguém. Porque eu realmente queria que mais pessoas conhecessem o enredo criado por eles. Foi uma leitura que me tocou demais e ela merece um graaande reconhecimento.
Abaixo eu vou deixar o link da resenha, para quem quiser conferir. Mas o objetivo da postagem de hoje é compartilhar com vocês as citações que eu mais gostei – que não foram poucas, como podem ver nessa primeira fotografia – e que, de alguma forma, tornaram a leitura ainda mais especial. Na resenha eu comentei que a obra teria uma continuação e digo que eu ainda estou aguardando ansiosamente. ♥ Quando eu terminei de ler meu exemplar, precisei pedir um autógrafo dos autores e, quando o fiz, juro que estava pensando e esperando uma assinatura em um papel ou algo parecido – nem pensei que isso só traria prejuízo para eles, porque quem, em sã consciência, pede um pedaço de papel pelos Correios?! – mas eles, fofos, me enviaram um exemplar autografado que eu guardo com todo o carinho. <3
Mas vamos deixar de enrolação e vamos logo aos quotes!

  1. Leia a resenha da obra Diário de Busca clicando aqui. ♥

A felicidade transbordava no olhar. Leopoldo segurava o livro apertado contra o peito como se carregasse uma relíquia, um tesouro retirado de um baú de piratas.
Ela puxou-o pelo braço e lhe deu uma surra como nunca havia feito. Leopoldo ficou todo lanhado e em seu choro era possível perceber a dor que invadira seu coração.
Quando ele era ainda tão pequeno que mal podia caminhar, a mãe o colocava no colo, folheava um livro e, enquanto lia, observava seu jeito, os pequenos olhinhos compenetrados com o que viam. Os anos foram passando e Leopoldo se transformando em um homenzinho, a paixão por literatura crescia dia a dia. Quanto mais lia, mais gostava.

Muitas vezes passeavam no parque Villa Borghese por entre as trilhas de vegetação tropical, onde as folhas secas caídas ao chão moldavam um imenso tapete vermelho que cobria todo o passadiço. Uma visão de encantar os olhos.
Aprendeu com sua mãe a ser persistente, a lutar pelo que acredita, e pensou: É como dizia um velho amigo – Para o obstinado, o tropeço é apenas um empurrão para seguir em frente.
Uma semana depois, Guértrude embalou os pertences de Leopoldo e Tony, cobriu os móveis, trancou portas e janelas e com tudo em ordem despediu-se do imóvel. As lágrimas eram incessantes, um nó na garganta parecia sufocá-la. Pensava em todos os momentos que ali passara, jamais esqueceria.

Leopoldo observando a felicidade de Tony percebe que venceu a luta contra a dor. Orgulhoso, sabe que conseguiu lhe passar força e fé. O rapaz é um vencedor. De tudo, restou apenas a saudade, uma saudade amena, uma saudade sem dores extremas.
E quem quer controlar o coração, quem não quer viver uma paixão? Ah... O amor... O amor não escolhe data ou lugar, captura os corações sem autorização, ou aviso prévio.
Cada detalhe fora meticulosamente estudado para que os astronautas pudessem se divertir e relaxar em seu tempo de folga. Mantendo desta forma o vigor de seus corpos e cérebros, evitando que adoecessem com os anos de confinamento. Mente sana in corpore sano.

As civilizações evoluídas já sabem que armas não trazem bons resultados, a inteligência e o bom senso são infinitamente mais poderosos.
Os quatro estão agora a menos de três metros dos indivíduos. Nesse momento todos param, tanto os astronautas como os seres.
Quem inicia a conversa é o mais alto:
– O que fazeis aqui, tão distante de casa, humanos?
[...] que porcaria, somos imprevisíveis, ele tem razão, não existe desculpas para nossa arrogância, cavamos a própria desgraça. Hipócritas, não cuidamos direito de nosso povo. Imagine o que faríamos se descobríssemos outra raça. Nem quero pensar.

Não adianta gastar milhões na corrida espacial sem antes resolverem os problemas de miserabilidade em países como Índia e África. Usem vossos recursos em programas que deem uma identificação de humanismo ao vosso planeta.
– Cada um escolhe no quê acreditar, faz parte do livre arbítrio, que depende do grau de evolução. Quando alguém decide espalhar a verdade é seguido por muitos e condenado por outros tantos, é o risco que se corre quando se diz a verdade. E esta, quase sempre ofende.
Tony, vosso povo precisa assimilar o real valor de ter tido a visita do filho do Criador, um dos fatos mais importantes já ocorridos em todo esse extenso universo.

Enfim, espero que tenham gostado da postagem!
É a primeira vez que faço uma publicação assim, mas gostei bastante e, se vocês também gostarem, tentarei trazer mais vezes, porque tenho aqui vários livros com diversas citações que me chamaram a atenção e me conquistaram. ♥



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017


Resenha "Diário de Busca"Livros, a Janela da Imaginação.






Classificação

Informações do livro
Titulo: Diário de busca
Autor/a: W. Souza
Editora: Chiado
Gênero: Literatura nacional/Ficção
Livro enviado para resenha com autor W. Souza.
O incansável explorador dá de ombros e não se deixa abater, tentando demonstrar maturidade e controle. Eval tinha razão, muito ainda estava por vir, aquilo era só o começo.
Aprendeu com sua mãe a ser persistente, a lutar pelo que acredita, e pensou: É como dizia um velho amigo - Para o obstinado, o tropeço é apenas um empurrão para seguir em frente.
Agradeceu, despediu-se, pegou a mochila, e virando a aba do boné para trás, gesto que fazia quando estava indignado, partiu, sorrindo apenas para a secretária.
Jamais desistiria, não era o perfil dos Di Carlli. Dali foi direto para a biblioteca preparar o material para uma próxima possível expedição.


Resenha Diário de busca

Recebi esse livro em parceira com os autores Wolnéia Sousa e Wânio Souza que são irmãos e lançaram o livro pela editora Chiado, a premissa do livro chamou a minha atenção e foi uma leitura muito interessante.

A história começa com Leopoldo Di Carli na década de 20 em Roma, um garoto muito amado por seus pais, um pai médico dedicado e sua mãe dona Leopoldina que trabalhava em uma biblioteca, local onde Leopoldo passava horas perdidos nos livros, quando não estava se divertindo com seus amigos. Seu passatempo preferido era ir na biblioteca e mergulhar nas páginas do livro onde seu fascínio pelas civilizações antigas ele alimentava um sonho de ser arqueólogo e poder pesquisar mais a respeito.


Tudo parecia tranquilo, até que um dia seu pai adoece e vem a falecer, e a rotina na casa muda totalmente, mãe e filho ficam abalados com a perda, Leopoldo muda seu comportamento, antes era um garoto alegre e cheio de vida, e agora se tornou um garoto recluso, que não ligava mais para os amigos e que buscava refúgio nos livros, assim sua admiração por arqueologia fica mais evidente, e sua mãe se assusta com seu comportamento e descobre uma coleção de pedras em seu quarto, ela não aceita o fato que Leopoldo amava arqueologia, e transtornada manda o filho para um internato onde padre Hélio fica responsável para colocar ele na linha.


Esse período que fica longe de casa, ele sofre os piores castigos, sua mãe desconhece totalmente o mal tratos que ele sofria, mas Leopoldo é um garoto forte, e para agradar a sua mãe ele aceita estudar para ser um sacerdócio. Anos se passam ele está mais velho, seu retorno para casa e o perdão entre mãe e filho não o faz desistir de ser um grande arqueólogo, e após a morte de sua mãe ele começa suas viagens e pesquisas ao redor do mundo sempre à procura de respostas por tudo que ele via e documentava a cada expedição.


Assim conhecemos uma história que atravessa gerações, Leopoldo se torna um homem importante, se casa, tem um filho, neto, e convive com perdas irreparáveis no decorrer de sua jornada. Mas ele é uma pessoa forte, determinada a descobrir as mensagens ocultas que ele descobre em cada viagem, ele relata tudo isso a sua querida esposa Layla que sempre o apoiou, seus grandes amigos que sempre acreditaram em suas palavras. E mesmo depois de tantas perdas e tragédias ele tem o consolo de ter seu neto Antônio Di Carli ao seu lado.


Diante dos estudos que seu avô realizou em suas viagens ele faz uma grande descoberta, Leopoldo já está com idade avançada, mas sabe que seu sonho não irá morrer, Antônio Di Carli será a pessoa que continuará o sonho e a determinação do avô.

O começo dessa história é um relato feito por Leopoldo de Carli, portanto teremos pouco dialogo, no entanto, a narrativa detalhada de forma sutil dos autores torna interessante a história de vida desse personagem, uma pessoa inteligente e determinada. Conforme os anos se passam percebi a evolução das décadas, os assuntos relacionados a arqueologia e ufologia são descritas de uma forma a ilustrar uma fantástica história sobre vida extraterrestre, os sinais recebidos das civilizações antigas e descobrir o rumo certo para saber se existe vida em outros planetas.


É um livro que me surpreendeu em vários aspectos, um livro feito as duas mãos muito interessante, que mescla momentos de calmaria no início do livro para momentos de ação no final, com novos personagens inseridos na história a medida que os anos se passam. Não economizam nos detalhes técnicos para ilustrar a narrativa, e foram bem sucintos ao passar ao leitor a visão de uma história de descoberta. Um livro que mescla ficção cientifica e romance de forma crível, cenas descritas com ação e emoção que me deixou muito satisfeita com essa leitura. O final da história passa uma mensagem muito importante, sobre evolução dos seres humanos, o criador do universo e de como ainda não estamos preparados para descobrir os mistérios que o universo contém.


Mostra como ainda temos que evoluir como pessoas, lidar com sentimentos mais profundos e ter discernimento que uma evolução exige que todos se unam e queiram o melhor para os seus semelhantes, é o tipo de leitura que te faz refletir.